Afinal, quanto o Spotify paga aos artistas?

É bem provavel que todas as pessoas que são envolvidas de alguma forma dentro do mundo da música, conheçam a plataforma de streaming Spotify, mas antes de falar sobre como o Spotify paga os artista, gravadoras, editoras e distribuidoras, vamos entender o que realmente é o SPOTIFY!


O Spotify foi oficialmente fundado e lançado em 7 de outubro de 2008, 14 anos atrás da data dessa matéria. É uma plataforma de streaming de musica, podcast e video. É o serviço de streaming de música mais popular e usado do mundo. Ele é desenvolvido pela startup Spotify AB em Estocolmo, Suécia. Ele fornece conteúdo protegido de conteúdo provido de restrição de gestão de direitos digitais de gravadoras e empresas de mídia. O Spotify é um serviço freemium; com recursos básicos sendo gratuitos com propagandas ou limitações, enquanto recursos adicionais, como qualidade de transmissão aprimorada e downloads de música, são oferecidos para assinaturas pagas.


O Spotify está disponível na maior parte da Europa, parte da América, Austrália, Nova Zelândia e partes da Ásia até o momento. Está disponível para a maioria dos dispositivos modernos, incluindo computadores Windows, macOS e Linux, bem como smartphones e tablets com iOS e Android. As músicas podem ser navegadas ou pesquisadas por artista, álbum, gênero, lista de reprodução ou gravadora (no Brasil essa função de gravadora ainda não funciona). Os usuários podem criar, editar ou compartilhar playlists, compartilhar faixas em redes sociais ou fazer playlists com outros usuários.


O Spotify fornece acesso a mais de 40 milhões de músicas atualmente. Em julho de 2019, contava mais de 232 milhões de usuários ativos, incluindo 108 milhões de assinantes pagantes. Atualmente os numeros são supreendentes, certa de 380 milhões de usuarios ativos e mais de 170 milhões de pagantes.


A receita do Spotify, vem de pagamentos de acesso premium, ads e acordos com as distribuidoras e gravadoras. Além de publicidade paga para promoção de musicas.


O montante mensal acumula um lucro liquido de 2 milhoes de Euros, parece pouco para uma empresa deste porte, mas entendam que o spotify ficou durante mais de uma decada no prejuizo, devido aos altos custos de tecnologia e desenvolvimento. Atualmente o Brasil tem uma fatia consideravel de assinantes e com certeza mudou a vida de muita gente como artista. Ou não?


Vamos aos fatos estranhos e bizarros do mundo do streaming, hoje estima-se que 92% de todos artistas que estão na plataforma, não conseguem recolher nem 1000 (mil) dolares em royalties no perido de um ano, o que transforma o cenário realmente ruim =/


O Spotify paga royalties baseado no número de audições de um artista como proporção total de músicas ouvidas no serviço, ao contrário de vendas físicas ou download, que pagam aos artistas um preço fixo por música ou álbum vendido. Eles distribuem aproximadamente 70% da receita total para os titulares de direitos, que então pagam os artistas com base em seus acordos individuais.


O Spotify enfrentou críticas de artistas e produtores, incluindo Taylor Swift e o cantor do Radiohead, Thom Yorke, devido às condições de pagamento, pois acreditam que ele não compensa aos criadores de música à medida que as vendas de música diminuíram face ao aumento do streaming. O Spotify anunciou em abril de 2017 que os artistas poderão fazer novos lançamentos de álbuns exclusivamente disponíveis no serviço Premium por um período máximo de duas semanas, se fizerem parte da Universal Music Group e da Merlin Network, como parte de seus esforços para renegociar novas ofertas de licenças com rótulos para um interesse divulgado em público.


Um estudo da The Trichordist revelou alguns dados equivalentes ao ano de 2019. Os valores divulgados pela pesquisa mostram a realidade dos pagamentos em gravadoras de porte médio, com pelo menos 350 discos disponíveis nos serviços de streming. Ou seja, artistas em gravadoras pequenas ou independentes recebem uma remuneração ainda menor.


No Spotify, o valor pago em dólar por cada reprodução em uma música é de US$ 0,00348, o que não chega a um centavo de dólar. Um estudo recente mostra o seguinte cenário:


870 artistas tiveram receita maior que US$ 1 milhão no ano, enquanto 1.820 receberam na casa dos US$ 500 mil. O gráfico abaixo mostra o número absoluto de artistas de acordo com a receita anual em dólares feita pela equipe da DNBB de acordo com os dados da "The Trichordist".

Fica claro dessa maneira que mais mais de 92% dos artistas no Spotify tem o rendimento de menos de 1 mil dolares anual, o que é extremamente pesado e dificil. =/


Porém, isso não é motivo para deixar de divulgar suas musicas no Spotify, na verdade o algoritimo do Spotify benefecia musicas novas e isso não tem criterio se o artista é grande e famoso ou não! Essa é a grande jogada!


Em nosso instagram temos uma Live sobre esse assunto e você pode conferir clicando aqui!


Isso demonstrado no gráfico é o apenas a ponta do iceberg, pois os valores repassados a distribuidora tem retenção de royalites que passa à gravadora e que por fim passa ao artista, tendo assim uma cadeia de pagamentos, no qual o artista só recebe no fim de toda sequencia. Independente por onde você lança suas musicas!


Como normalmente funciona:



É claro que o fluxo pode mudar, afinal hoje temos distribuidoras que aceitam artistas independentes e esse fluxo diminui de mão, mas ao mesmo tempo você terá que fazer tudo e todo trabalho das gravadoras e editoras. No entanto, é uma opção!


O mais importante é entender que hoje o Spotify possui uma fatia de 44% no mercado de streaming, portanto, fugir do Spotify, pode ser um tiro no pé, pelo menos enquanto você não for um Top Hits, Superstar entre outros adjetivos para um artista famoso!


Por fim, quem vai decidir no final quanto vale a pena ou não inserir suas musicas no Spotify, é claramente você mesmo, a não ser que tenha algum contrato com a Editora ou Gravadora que essa plataforma seja necessária ou obrigatoria!


Vale lembrar que recentemente o Spotify perdeu 2 bilhoes de dolares em valor de mercado devido a um escandalo relacionado a desinformação do COVID-19 em podcasts. Mas isso até o momento não interferiu nos valores a serem pagos aos artistas de musicas!


Por fim, deixamos algumas curiosidades que com certeza você não sabia sobre o Spotify:


1. Downloads de música ilegal diminuíram no mundo:


Embora não haja uma pesquisa global de mensuração de pirataria, é fato que as transferências de música por sites de downloads, Torrent ou redes P2P caíram significativamente após a chegada dos serviços de streaming de música, e o Spotify é o protagonista dessa mudança.


Apesar de ter enfrentado resistência das gravadoras no início, o serviço de reprodução de canções atualmente é um modelo legalizado, rentável e muito prático para os envolvidos.


2. Origem do nome Spotify:


Convenhamos que o nome Spotify não diz muita coisa para quem não é falante do inglês, por isso a maioria das pessoas sequer sabe o que significa. Assim como outros aplicativos de redes sociais e streaming, o nome é uma junção de dois termos: "Spot" em inglês significa lugar, mas também é uma forma reduzida de spotlight (holofote); já o "ify" é um sufixo relacionado a identify, que significa identificação ou relação de proximidade com algo.

Spotify poderia ser traduzido como o lugar onde você se identifica, afinal você pode ouvir seus artistas favoritos e criar listas de produção com as músicas que mais ama.


3. Cerca de 25% das músicas nunca foram tocadas:


Triste, mas REAL! Com milhões de reproduções diárias, é quase impensável sugerir que canções podem nunca ter sido reproduzidas, mas esse é um fato curioso. Estima-se que cerca de 25% das faixas hospedadas no serviço nunca foram reproduzidas por terceiros, sem incluir neste rol os podcasts.


Não há uma causa oficial para isso, até porque o Spotify nunca mencionou tal número oficialmente, mas supõem-se que essas músicas esquecidas sejam covers de bandas, canções originais de artistas desconhecidos e/ou cantores pouco familiarizados com a divulgação digital dos seus trabalhos. Isso significa que há uma enorme quantidade de conteúdo prontinha para ser descoberta por você.


4. Conteúdos além das músicas:


Apesar de ser surgido e se firmado como um aplicativo musical, o Spotify em 2022 é muito mais do que um streaming de MÚSICAS. Há uma imensa variedade de podcasts dos mais diversos estilos hospedados por lá, assim como audiolivros, shows de comédia stand-up, entrevistas com políticos ou personalidades e até compilados de programas de rádio ou TV.


É isso galera, muito legal escrever sobre o Spotify, que hoje é uma das plataformas digitais mais virais e mais acessadas no mundo inteiro. Se tiver alguma duvida, sugestão e/ou critica, estamos sempre abertos para conversar.


Peace!


Fonte: The Things, Kannaken, Techtudo



#spotify

#drumandbass

#dnbb

#smashing

#dnbedition

#dj

#artista

#pagamentospotify

#streaming

#stream

#deezer

#itunes

#drumbass